Será que é possível educar dizendo sim?

educar

Assistir televisão, comer porcarias ou pintar a parede são alguns exemplos de situações que não pensamos duas vezes para dizer não, não é verdade? Quem passou ou ainda está passando pela fase dos filhos pequenos, sabe o desafio que é educá-los, principalmente quando não temos o dia inteiro dedicado a eles. Mas, será que temos outra opção ao invés do não? Ou podemos educar dizendo sim?

Em nossos encontros, muitas mulheres se mostram exaustas pela rotina que levam: o dever no trabalho, em casa, com a família, somadas à necessidade de cuidar de si mesmas. Hoje trazemos reflexões sobre como proporcionar momentos mais proveitosos para as crianças - dizendo sim ao invés de não - e ao mesmo tempo criar oportunidades para curtir com elas uma das fases mais gostosas da vida: a infância.

A família é um microcosmo da sociedade. É a primeira oportunidade que temos de contato e convívio com o outro. É na família que devemos aprender a respeitar cada indivíduo como um ser humano independente. Mas, como fazer com que todos se respeitem de modo que uma pessoa - a mãe, como na maioria dos casos - não se sobrecarregue?

Quando convivemos em um espaço comum, precisamos de regras de convivência. Quais são as regras em sua família? Você tem regras claras? Consegue elencar algumas? Quando temos isso em nossa casa, fica muito mais fácil de educar dizendo sim. Trago um exemplo:

Filho: Mãe, posso tomar sorvete?

Mãe: Hoje é dia de tomar sorvete?

F: Sim.

M: Então pode!

ou

Filho: Mãe, posso tomar sorvete?

Mãe: Hoje é dia de tomar sorvete?

F: Não.

M: Quando chegar o dia, eu compro pra você.

Crianças que conhecem as regras entendem o ritmo da casa, se sentem seguras e ficam mais calmas. E para nós, educadores, é um alívio entender que nossos filhos estão crescendo e conseguem respeitar e entender as regras básicas de convívio.

Culturalmente aprendemos que quando temos filhos perdemos nossa liberdade e que precisamos nos dedicar de corpo e alma para que eles sejam felizes. Mas, será que filhos livres e pais sem liberdade é um modelo que funciona? Como nos sentimos sem liberdade em nossa própria casa?

O segredo são regras simples e que todos da família conheçam. Experimente organizar poucas regras, deixá-las claras e depois conte para a gente. Vou citar alguns exemplos de regrinhas de convivência que funcionam aqui em casa, quem sabe pode te ajudar:

  • 1 hora de televisão por dia

  • Para almoçar é preciso ficar na mesa e experimentar um pouco de tudo

  • Comer sorvete somente aos fins de semana

  • Falar sempre Bom dia, Boa noite e por favor.

  • Hora de dormir é 20:30

O ideal é que em nossa própria casa possamos ensinar as crianças a respeitar a individualidade alheia. Se todo mundo se respeita, ninguém sai sobrecarregado.

No curso Florescer nós temos uma palestra que fala sobre a fases do desenvolvimento humano, dividida por setênios. Baseada nos princípios da Antroposofia, ela nos ajuda a entender nosso processo evolutivo desde os primeiros anos de idade e a importância da família em nossa formação.

Nosso próximo curso acontecerá nos dias 22, 23 e 24 de maio e todas as mulheres são convidadas para experienciar este conhecimento. Para aquelas que ainda não tiveram filhos, pode ser uma ótima chance de estudar sua própria biografia.

Te esperamos lá!  Inscreva-se