Outono momento para dedicar-nos à alma

outono

 

Como podemos vivenciar as estações do ano e nos desenvolver? No post de hoje falo sobre como aproveitar o ciclo das estações para caminhar em direção de nosso autoconhecimento. Este movimento natural, gera vida e energia. Quer saber a melhor forma de aproveitar cada uma das 4 estações para conseguir a direção e intenção correta?  

Começaremos pela Primavera: O elemento da primavera é a transformação, nos permite transformar uma coisa em outra. Na primavera temos o calor, que está associado à gestação, àquele milagroso processo em que a semente, o ovo ou o embrião são mantidos no calor lento para que germinem. Podemos trazer a primavera em nossas vidas desenvolvendo uma nova idéia, é um bom momento para darmos um passo arriscado em direção a uma nova atitude que deixe o conforto do passado para megulharmos no futuro incerto.

O ciclo anual continua com o verão, o elemento do  verão é a luz, depois da gestação uma nova vida deve emergir através da superfície, em direção ao ar livre. A luz é necessária para o crescimento. Verter a luz sobre algo, ter uma idéia nova, iluminar-se. Nossas idéias precisam se expandir, desenvolver asas voar. O verão é expansivo, é o momento de experimentarmos  novos comportamentos, novas formas, novos caminhos, novos sonhos.

Chegamos ao outono, abertura demais, diversificação demais cria confusão e caos, não podemos permanecer indefinidamente num estado de processo aberto em expansão. É preciso darmos forma às ideias e insights, para que elas perdurem. Uma nova estrutura deve ser construída. Depois do impulso do verão que nos fez expandir e voar, precisamos agora nos conectar com nossa alma, nossa estrutura para não ficarmos com a “cabeça nas nuvens”.

E então vem o inverno, um momento de permitir o novo que nasceu tornar-se algo substancial, O processo criativo deve se materializar em algo que possa ser visto, compartilhado. Deve manifestar-se sob a forma de novas práticas de forma que o novo seja alicerçado.

Assim a idéia que foi gerada na primavera, será finalmente implantada e incorporada no inverno. E nós iremos nos renovar.

Assim acompanhando os ciclos da natureza, anualmente, vamos nos recriando, nos renovando e evoluindo para além de nós mesmas. E é lógico que o novo envelhecerá outra vez. Começamos a considerar nossas estruturas e comportamentos como  processos que nos definem, sem enxergar que a estrutura sempre é produto de uma iniciativa passada, nunca futura e começamos a nos enrijecer. Uma vez que o novo se tornou prática corriqueira, ele para de ser novo e um novo ciclo deve começar. É a hora de uma nova  primavera entrar.

Estamos no outono, quer aproveitar e dar uma pausa no seu cotidiano? Conseguir avaliar quais atitudes e comportamentos deve manter e o que precisa renovar?

Aproveite o Curso Florescer que irá acontecer agora dias 29,30 e 31 de maio. Lá você terá a oportunidade de dedicar-se à sua alma. Inscreva-se